Acompanhe nossas novidades

Postado em 09 de Junho de 2015 às 08h00

Público com intenção de compra marca presença no 11º Salão do Imóvel e Feirão Caixa

  • Firme Negócios Imobiliários -

Encerrou nesse domingo (7) o 11º Salão do Imóvel e Feirão Caixa da Casa Própria – maior evento do segmento imobiliário no Oeste de Santa Catarina. Realizado desde sexta-feira (5), o evento recebeu 3.400 visitantes e gerou, entre negócios fechados e prospectados, mais de R$ 140 milhões. A qualificação dos visitantes agradou os empresários e corretores das 20 imobiliárias que integraram esta edição do evento e, juntas, ofertaram imóveis de R$ 105 mil até a faixa de R$ 6,6 milhões e terrenos a partir de R$ 90 mil.
Nesta edição, a comissão organizadora beneficiou, junto às imobiliárias, os clientes que efetuaram a compra de imóvel no período de realização do evento com bonificação das custas relativas ao registro da escritura no Cartório Ofício do Registro de Imóveis.
“Não há excesso de oferta de imóveis prontos em Chapecó – a maioria está em construção. Na categoria Minha Casa Minha Vida, dos 1.050 imóveis disponibilizados, 90 estão prontos para morar. Nas demais faixas, foram ofertados aproximadamente 1.750 imóveis novos, sendo que destes, 250 estão prontos” expõe o coordenador do evento Ademir Roque Sander.
Casados há dois anos, Ezequiel Souza e Daniele Coelho Souza, de Chapecó, realizaram no 11º Salão do Imóvel e Feirão Caixa da Casa Própria o sonho de adquirir o primeiro imóvel. “Viemos com a intenção de fechar negócio e ficamos muito satisfeitos com as oportunidades ofertadas. Acredito que encontramos, de fato, o imóvel dos nossos sonhos” assegura a esposa Daniele.
O presidente do Sindicato da Habitação do Oeste (Secovi-Oeste/SC), Altir Paludo, atribui os negócios às diversas opções que os visitantes encontraram em imóveis para público de menor, média e alta renda. “Muitos visitantes vieram com a real intenção de investir em um imóvel e isso, por si só, já valeu a pena para todas as imobiliárias. Além disso, tivemos uma mídia e divulgação muito expressiva, o que nos deixa satisfeitos pela dimensão que o evento tem alcançado, com o passar dos anos” afirma o presidente.
Para a corretora de imóveis Marilene Bergamin Biazi esta edição tem sido diferenciada em relação às outras duas das quais participou. “O público este ano, foi menor, porém a intenção de compra foi bem maior e o foco de investimento também se destacou. Creio que as diversas opções oferecidas e o atendimento integrado com a CAIXA são os principais atrativos para o público”, explica. Na edição anterior, em 2014, Marilene foi a primeira corretora a fechar negócio, às 14h15, durante o evento – que abriu as 14 horas.
“Ficamos felizes com a participação de mais imobiliárias, pois nossa intenção foi oferecer a maior quantidade possível de imóveis. Nosso objetivo foi alcançado: o contato com novos e potenciais clientes, que vieram ao Salão do Imóvel e Feirão da Caixa pela credibilidade que o evento inspira em toda a região. Nossa consolidação é reavivada a cada ano devido a um setor unido e atuante, reflexo deste evento” relata Sander.
CAIXA
“Desde o primeiro dia, o evento surpreendeu positivamente pelo volume de negócios. Percebemos que há uma forte demanda para o primeiro imóvel e também para investimentos no mercado imobiliário. Nesta edição, o perfil das famílias que predominou foi de jovens casais, na faixa de 25 a 30 anos, em busca da primeira moradia” ressalta o superintendente regional da CAIXA, Ricardo Bier Troglio.
A Caixa Econômica Federal esteve presente no evento simulando financiamentos e prestando informações para as famílias que têm como sonho realizar a compra da casa própria. Mais de 40 profissionais trabalharam para esclarecer as dúvidas sobre as formas de financiamento. Além do programa de maior procura, o “Minha Casa, Minha Vida”, nesta edição, a CAIXA ofereceu financiamentos pelo programa Pró-Cotista, destinados a cotistas do FGTS para imóveis até R$ 400 mil. O prazo do financiamento imobiliário pode chegar a 35 anos e as taxas de juros, dependendo das condições de renda e valor do imóvel, são a partir de 4,5% ao ano. Além dessas linhas, a CAIXA também ofereceu opção em financiamento com recursos da poupança, através da Carta de Crédito Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). 

Veja também

Atraso na entrega de imóvel pode gerar indenização ao consumidor06/12/14 A compra de imóveis na planta para moradia própria ou como forma de investimento passou a ser algo cada vez mais comum entre os brasileiros. No entanto, também é cada vez mais comum o atraso na entrega dos imóveis por parte das construtoras e das incorporadoras. A causa desses constantes atrasos se deve principalmente, aos problemas vividos pelo setor da......
9 maneiras de obter desconto no valor do imóvel só na lábia13/10/14Argumentação na hora da contraproposta pode render economia de até 21% ou mais. Saiba como negociar na medida certa O ritmo de alta do preços dos imóveis vem desacelerando em 16 cidades do país. Para quem busca comprar uma casa ou apartamento, é hora de pechinchar. Mas negociar o preço da unidade com o corretor e proprietário......

Voltar para Notícias