Acompanhe nossas novidades

Postado em 05 de Janeiro de 2015 às 09h11

Locação – Imobiliária tem responsabilidade?

  • Firme Negócios Imobiliários -

O proprietário de imóvel, quando procura uma imobiliária para administrar a locação, ele firma uma contrato, e lhe outorga uma procuração com poderes para, em seu nome, praticar atos ou administrar interesses, mediante o pagamento de uma taxa pela prestação de serviços, e portanto ele passa a figurar como mandatário do proprietário.

Locação-Imobiliária-tem-responsabilidadeDai advêm a responsabilidade prevista no art.667 do Codigo Civil, obrigando-se a indenizar o proprietário (mandante) por quaisquer prejuízos advindos de sua conduta culposa.

Diz o aludido artigo; Art. 667. O mandatário é obrigado a aplicar toda sua diligencia habitual na execução do mandato, e a indenizar qualquer prejuízo causado por culpa sua ou daquele a quem substabelecer, sem autorização, poderes que devia exercer pessoalmente.

Observa-se que a administradora de imóveis é responsável por locação realizada sem as cautelas que a atividade recomenda, sendo obrigada a satisfazer o proprietário naquilo que ele deixou de receber.

Por outro lado, não cabe a imobiliária que agiu diligentemente a responsabilidade pelo pagamento de alugueis, cotas condominiais ou tributos inadimplidos pelo locatário– ressalvadas as hipóteses de previsão contratual nesse sentido– porquanto ausente sua culpa, elemento imprescindível em sede de responsabilidade Civil subjetiva.

Ao revez, configura-se a responsabilização da imobiliária, quando não age com diligência na aprovação do cadastro do locatário e do fiador, não exigindo qualquer comprovação da capacidade econômica para cumprir o contrato nem fazendo uma acurada pesquisa sobre a sua situação de solvência.

É bem de ver, que a princípio não cabe à imobiliária a responsabilidade pelo pagamento de alugueis, cotas condominiais ou tributos inadimplido pelo inquilino, a não ser que haja previsão contratual, ou se o proprietário provar que a imobiliária agiu com culpa (sem diligência), não cumprindo os deveres oriundos da relação contratual, causando a frustração no recebimento dos alugueis e demais encargos.

Exemplo característico da falta de diligência por parte da imobiliária na aprovação do cadastro, é a ausência de comprovação documental dos bens imóveis do fiador, e comprovação de renda suficiente do locatário, para garantir o pagamento do aluguel mensal.

A diligência vai além, e a imobiliária deve exigir certidão atualizada dos imóveis, devendo esta exigência ser renovada a cada ano, para não ser surpreendida no momento da execução dos alugueis em atraso.

O cadastro para ser completo, deve conter as certidões negativas forenses, além do extrato dos bancos de dados de proteção ao credito, sobre o inquilino e fiador.

A imobiliária comete um pecado capital ao aceitar as simples alegações do locatário ou fiador, sem exigir qualquer documento que lhe de respaldo, pelo simples fato de ser amigo ou conhecido.

Aprovar cadastro, somente em virtude de amizade, é assumir riscos.

Pode-se asseverar que, em Cuiabá, existem muitas imobiliárias serias e competentes, e que transmitem tranqüilidade e segurança aos proprietários de imóveis, mas também, como em toda atividade, existem as que são menos diligentes, e poderão colocar em risco a única renda familiar, ao confiar-lhe a administração do seu imóvel.

Por isso, antes de contratar um administrador, seja também diligente, e faça uma pesquisa, para não se arrepender depois.


Fonte: Olhar Direto

Veja também

Como saber qual valor de imóvel consigo pagar?07/04/15 A compra de um imóvel pode ser o maior gasto que você terá na sua vida, portanto, qualquer errinho na hora de avaliar o valor que cabe no seu bolso pode gerar um prejuízo grande e comprometer seu orçamento por um bom tempo. Veja no vídeo do consultor financeiro André Massaro como definir o valor do imóvel que você teria capacidade de pagar sem passar......
Como transferir financiamento de imóvel a outra pessoa?06/01/15 Dúvida do internauta: Adquiri um imóvel, mas como na época minha renda não era tão alta ele foi comprado no nome da minha mãe para que eu tivesse o crédito aprovado. Hoje já tenho uma renda......
É possível usar o FGTS para reformar a casa?18/02/15 O proprietário de um imóvel pode utilizar o seu saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para reformar a unidade? Resposta de Marcelo Tapai* Embora a legislação não preveja e a Caixa negue a......

Voltar para Notícias